quarta-feira, março 25, 2009

Quarta-Feira de Cinzas
























A Fênix faxina fundo,

a famigerada falência do Ego.
Fulminante, flagra falcatruas
de falsos corações e falsas mentes,
que sempre mentem !

Não nego, não me apego,
Mas não reclamo quando ardo em chamas.

Carregar a consciência de uma época
Não é tarefa para o ser humano.

Não sou Prometeu Acorrentado.
Se depender de mim,
O meu fígado não pode ficar na reta
para que os homens saiam da escuridão.

E o pior, é que a Terça-Feira Gorda
não devorou meu fígado.
A Esfinge do Samba Carioca é mais exigente.

No Terreirão do Samba.
Espetou meu coração
Colocou-o na brasa
e o vendeu mais barato
que um churrasquinho de carne de gato

Ainda bem que sou Macaco !
Vou mudar de galho
Mas enquanto arde a brasa
Não posso renascer das cinzas !

Ricardo Muniz de Ruiz - Poeta Mameluco Brasileiro

Cosme Velho, 25 de fevereiro de 2009
quarta-feira de cinzas - 12:12 horas

9 comentários:

Klatuu o embuçado disse...

Voltaste, pá? :) Já pensava que tinhas sido vitimado por algum nazi psicótico... :)=

Abraço!

P. S. Escuta... Não queres participar no novo blogue conjunto da malta?

http://renascimentolusitano.blogspot.com/

Su disse...

Que bom... Um dia eu retomo. Enquanto isso, fico no teu.

Alê Quites disse...

Boa escolha. Beijos

Menina do Rio disse...

Um coração na brasa acompanhado de uma caipirinha (que não bebo) dizem ser uma delícia!
Soprando as cinzas da quarta feira, ainda resta o calor...

Gostei imenso do poema!
Um beijo pra tu

Vieira Calado disse...

Grato pela visita ao meu espaço.

Um abraço.

Chama Violeta disse...

Olá! Quanto tempo!!!????
Grata pela visita, volta sempre...
Belo poema!!

Beijinhos de luz!!

O BAR DO OSSIAN disse...

Bem-vindo a O Bar do Ossian.

Abraço lusitano!

Porcelain Doll disse...

A falência do ego é aquilo a que estamos todos condenados... afinal de contas, o ego foi criado para ser transcendido...

As mentes que mentem são falsas; para que alguém que mente continue a mentir, convém que acredite na própria mentira... e as mentes que crêem ser verdade a mentira que contam são construções absolutamente impressionantes... intrincadas redes de castelos nas nuvens que quase parecem castelos de verdade... quando desmoronam, nada volta a ser o que era dantes...

Arder não é bom... mas renascer das cinzas é maravilhoso!!

Jessica disse...

Poxa, eu adorei o blog dos jovens poetas. E me interessei bastante! Como faço para participar?
Abraços